Fundos: Petrobras vê como provável perda judicial com a Petros

A Petrobras afirmou nesta sexta-feira (30) que decidiu alterar para provável a expectativa de perda em um processo judicial relacionado à repactuação do Plano Petros, plano de pensão dos empregados da empresa, após a Justiça confirmar uma sentença desfavorável à estatal.
A estimativa atual de impacto negativo no resultado bruto consolidado no segundo trimestre de 2017 é da ordem de R$ 6,5 bilhões, afirmou a Petrobras.

A companhia disse que avalia a possibilidade de quitação do débito no âmbito do Pert (Programa Especial de Regularização Tributária), o novo Refis, cuja adesão termina em 31 de agosto.
A Petrobras disse que a sentença judicial reconheceu a dedutibilidade na base de cálculo do Imposto de Renda e da CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido) das despesas ligadas à repactuação do Plano Petros, limitada a 20% da folha de salários dos empregados e da remuneração dos dirigentes vinculados ao plano (Reuters/Folha de S.Paulo-01.07)