7 em 10 barram alta abusiva de convênio

Sete em cada dez ações na Justiça para contestar o reajuste abusivo dos planos de saúde têm decisões favoráveis ao consumidor.

A constatação é de um levantamento feito pelo Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) após analisar 113 decisões judiciais entre 2013 e este ano, em nove Estados mais o Distrito Federal.

Os dados também levam em conta processos no STJ (Superior Tribunal de Justiça).

Em média, os reajustes contestados são de 89%, índice classificado como “absurdo” pelo Idec.

Em um dos casos analisados, inclusive, o percentual aplicado foi de 2.000%.

“Esse foi um estudo qualitativo e não quantitativo. Nossa ideia foi entender como os tribunais têm lidado com as contestações dos reajustes aplicados pelas operadoras”, explica a advogada Ana Carolina Navarrete, pesquisadora em saúde do Idec. (Agora São Paulo)